Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Foto de crianças fardadas causa revolta no Direitos Humanos?

Conspirações

Foto de crianças fardadas causa revolta no Direitos Humanos?

Texto diz que a foto de um casal de crianças com farda de policial causou revolta no pessoal dos Direitos Humanos enquanto que foto de criança travestida ganhou prêmios! Será?

A notícia apareceu no Facebook no dia 05 de fevereiro de 2016, através da publicação indignada no perfil do deputado federal Jair Bolsonaro e replicada em diversos outros perfis. De acordo com o político, a foto de um casal de crianças fardadas teria causado revolta por parte do pessoal dos Diretos Humanos enquanto que a capa da Revista Nova Escola – que mostra um menino com “roupas de menina” – acabou ganhando o prêmio de melhor capa de 2015.

A postagem do deputado teve mais 23 mil compartilhamentos, além de mais de 50 mil curtidas, gerando cerca de 4 mil comentários!

Mas será que essa notícia é real?

Será que isso é verdadeiro ou falso?

Publicação de um deputado federal critica Direitos Humanos, que teria condenado foto de crianças fardadas! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)

Publicação de um deputado federal critica Direitos Humanos, que teria condenado foto de crianças fardadas! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)

Será Verdade isso?

Antes que você prossiga na leitura desse artigo e comece a escrever comentários indignados contra o E-farsas, vamos lembrar aqui que o site não tem nenhum lado político e que pesquisamos aqui os boatos que circulam na web, independente de quem seja e de que lado esteja na política. Já desmentimos boatos envolvendo tanto a presidente Dilma como também os que envolveram o ex-candidato Aécio Neves, além de desmentir boatos sobre deputado federal Jair Bolsonaro.

Dito isso, vamos prosseguir…

A publicação feita pelo nobre deputado misturou (propositalmente ou não) dados reais com inverdades e sua postagem causou o efeito esperado: Muita polêmica em cima do assunto!

Na verdade, a foto que “causou revolta” nos Direitos Humanos não foi a da dupla de crianças fardadas. Essa foto circula pela web desde 2012, quando foi publicada no blog da Polícia Militar de São Paulo e não há nenhuma reclamação sobre ela!

A publicação de Bolsonaro coloca a imagem ao lado da capa da revista Nova Escola (edição de fevereiro de 2015), dando a entender que os dois fatos ocorreram na mesma ocasião.

O blog Papo de PM selecionou diversas fotos bacaninhas de crianças fardadas (o blog é lotado de banners e popups, mas vale a visita pelas fotos), mostrando que não há problema nenhum em “fantasiar” a criança com a roupa de seus heróis.

Na verdade, a fotografia que gerou indignação entre os internautas e fez com que o coordenador estadual do Movimento Nacional de Direitos Humanos e um dos fundadores da Comissão da Criança e do Adolescente do Conselho Federal da OAB, Ariel de Castro Alves, pedir para que o setor de Direitos Humanos do Ministério Público de São Paulo analise o caso foi essa aí, que mostra um bebê segurando um cassetete e algemas:

Entre em contato com o E-farsas

(11) 96075-5663 - t.me/efarsas

Foto de bebê segurando um cassetete foi criticada por internautas por ferir o artigo 232 do ECA! (Reprodução/Twitter)

Foto de bebê segurando um cassetete foi criticada por internautas por ferir o artigo 232 do ECA! (Reprodução/Twitter)

De acordo com Ariel, a exibição da imagem viola o artigo 232 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que prevê pena de seis meses a dois anos para quem submeter criança ou adolescente sob sua autoridade, guarda ou vigilância a vexame ou a constrangimento.

Em entrevista ao G1, Ariel disse:

“A criança é colocada em uma situação constrangedora, vexatória. Foi exposta com uma arma, ainda que não seja uma arma de fogo, mas armas usadas para reprimir, como o cassetete e a algema para prender”.

No mesmo dia, a assessoria de imprensa da Polícia Militar informou que as fotos publicadas nas redes sociais são enviadas por internautas e que a farda policial simboliza “honra” e “civismo”.

No dia seguinte à polêmica causada pela foto, outros pais começaram a publicar fotos de seus filhos usando farda. Como foi o caso de uma família de Brasília, mostrada aqui!

A foto da capa da revista Nova Escola

A imagem do garoto vestido “de menina” na capa de uma revista saiu na edição de fevereiro de 2015 da revista Nova Escola. Lançada no dia 11, a edição convidou os educadores para o debate sobre questões de gênero e sexualidade e, para isso, a foto do britânico Romeo Clarke, de 5 anos, vestido com uma fantasia de princesa foi a escolhida com o intuito de provocar os leitores! A escolha deu certo, pois a edição foi a mais comentada de toda a história da revista, que teve uma tiragem recorde.

Uma curiosidade: A reportagem traz também um link para download do “Escola sem Homofobia”, que foi um material didático que ficou conhecido como “kit gay” e teve que sua distribuição suspensa pelo governo federal em 2011.

Com essa edição, a revista Nova Escola ganhou o prêmio de melhor capa de revista do ano de 2015 – através de votação do júri popular (ou seja. foi o povo que escolheu) – pela ANER (Associação Nacional de Editores de Revistas).

Edição da Revista Nova Escola ganhou o prêmio de melhor capa de 2015 pelo júri popular! (foto: Divulgação/ANER/Lucíola Okamoto Mikio)

Edição da Revista Nova Escola ganhou o prêmio de melhor capa de 2015 pelo júri popular! (foto: Divulgação/ANER/Lucíola Okamoto Mikio)

Conclusão

O texto compartilhado no Facebook mistura dados reais com inverdades para atrair mais likes e compartilhamentos! A foto que foi criticada pelos Direitos Humanos é de um bebê fardado ao lado de algemas e um cassetete e não essa do casal de crianças fardado. Já, a capa do menino com roupa de princesa foi eleita a melhor de 2015 pelo júri popular!

*Com a colaboração do amigo Rodrigo Portillo, através do nosso grupo no Facebook!

Continue lendo
75 Comentários

75 Comments

  1. Luciano

    6 de fevereiro de 2016 em 9:16

    e quem é o efarsa? quem garante que isso é verdade…

    • Gilmar Lopes

      6 de fevereiro de 2016 em 10:12

      Tá certo em duvidar mesmo! Faça isso com tudo o que lê ou assiste na internet. Duvide até do E-farsas!
      Faça suas pesquisas em diversas fontes e forme a sua opinião.

      • Sandra

        7 de fevereiro de 2016 em 23:08

        Entre meu filho estar segurando um cacetete de brinquedo ou não bebê, logo não tendo como registrar em sua memória, ou vestido de mulher numa capa de revista…coloque o seu filho já q pra ti é normal e q foi louvável o prêmio!!

        • JESSÉ

          8 de fevereiro de 2016 em 11:40

          Não entendi o seu comentário, pois em nenhum momento o E-farsas se posicionou como certo ou errado em relação a fantasiar crianças de policiais ou de travestis.

          Por favor leia novamente a matéria.

        • Rafael

          11 de fevereiro de 2016 em 12:29

          Essa Sandra é daquelas coxonas podres, deve ser mulher de policial essa porra ae

      • Rafael Arroyo

        24 de fevereiro de 2016 em 11:03

        Grande Gilmar! Esse tipo de resposta dá mais credibilidade ao site.

  2. Cesar da Silva

    6 de fevereiro de 2016 em 11:05

    Uma mulher com algemas e cassetete lembra bdsm, portanto é de extremo mau gosto fotografar uma menina assim.
    Pra completar: não creio que as crianças dos países com governos ditatoriais escolheram vestir-se como seus “heróis”.

    • Quebra-Ossos

      7 de fevereiro de 2016 em 16:06

      Gay detected.

      • Cesar da Silva

        9 de fevereiro de 2016 em 20:36

        Tu, Quebra-Ossos, deves ser um pedófilo que gosta de ver nenéns com fantasias de sex-shop. Essa tua perversão é nojenta.

        • Daniel Girald

          24 de outubro de 2016 em 8:12

          Um tanto absurda essa comparação. A farda usada pela criança da foto não lembra em nada as fantasias de sex-shop.

    • Celso F. T.

      10 de fevereiro de 2016 em 17:06

      “Uma mulher com algemas e cassetete lembra bdsm, portanto é de extremo mau gosto fotografar uma menina assim.”

      Contexto : esse desconhecido

      “Pra completar: não creio que as crianças dos países com governos ditatoriais escolheram vestir-se como seus “heróis”.”

      Desde 1989 que o Brasil escolhe os governantes de forma democrática
      História : essa desconhecida

      • Cesar da Silva

        16 de fevereiro de 2016 em 14:39

        No meio do post há um link pro blog Papo de PM. Clica lá e vê o que há.

  3. Cesar da Silva

    6 de fevereiro de 2016 em 11:25

    Quando se pesquisa por fantasia+saia+algemas+cassetete no Google, não aparece nada infantil.

    • FERNANDO

      11 de fevereiro de 2016 em 15:56

      Quem tem essa mentalidade só pode ser um pervertido sexual, assimilando uma criança com sexo, então uma criança de calcinha também lembra de sexo? Melhor se tratar viu, antes que vire um pedófilo, se já não o é…

      • Cesar da Silva

        16 de fevereiro de 2016 em 14:23

        Não corro o risco de pegar teu costume, Fernando.

  4. Kiko

    6 de fevereiro de 2016 em 11:29

    Não faz tanta diferença qual foto foi ou não criticada, as duas fazem parte do mesmo tipo de contexto. Neste caso as algemas e cassetete foram usadas somente como pretexto, vende-se várias espadinhas de brinquedo em lojas para crianças.
    É impossível separar esse assunto da política. Estou eu autorizado a vestir meu filho de princesa, mas vesti-lo de policial não sou autorizado.
    Tudo isso deve levantar outro tipo de questão, muito mais importante. Meu filho é do estado ou minha família, minha responsabilidade ? Quais valores o estado me deixa passar para ele sem que eu acabe em uma prisão ?
    Você que está lendo meu post, responda… quer ser livre para passar seus valores a seus filhos ?

    • JESSÉ

      8 de fevereiro de 2016 em 11:42

      Ótimo comentário. Onde eu clico para dar Like?

      Gilmar coloque opção de Like nos comentários hehehehe.

    • brito

      11 de março de 2016 em 10:54

      eu apoio voce plenamente kiko pois existe um monte de gente cuidando do que nao é da conta deles e deixando de lado o que realmente é necessario, por exemplo as crianças de rua ou as vitimas seja do que for, mais essas pessoas sempre dao mais valor para quem cometeu o delito.

  5. AfterBurner

    6 de fevereiro de 2016 em 12:12

    Eu não entendo o que existe de vexatório na imagem do bebê vestido de policial. Quando criança, a imagem que eu tinha de um policial/soldado/bombeiro era de um herói, deve ser por isso que naquela época eu sonhava em ter essas profissões ou sempre escolhia ser policial quando brincava de polícia e ladrão.

    Quanto ao comentário do Bolsonaro, não acho que ele tenha agido de má fé, ele pegou dois fatos isolados apenas para embasar o raciocínio desse pessoal que acha um absurdo uma criança vestida de policial mas acha bonito esses funkeiros mirins, por exemplo.

    • Sedgewick Sexton

      10 de fevereiro de 2016 em 10:55

      Também não vejo problemas na foto da menina fardada, mas o que o pessoal dos direitos humanos critica é a agressividade. A menina segura um cassetete e algemas e está em uma posição de luta.

  6. Bruno

    6 de fevereiro de 2016 em 13:28

    Putz… Esse negocio de direitos humanos é a pior idiotice que existe.

    • Tito

      7 de fevereiro de 2016 em 8:20

      É! Maldita declaração universal dos direitos humanos que ficam defendendo idiotices como todos terem direito a julgamento justo, ser preso apenas sob alguma acusação, ter direito a liberdade de expressão, etc.

      • Renato Rocha

        18 de fevereiro de 2016 em 21:18

        Esses Homossexuais contemporâneos gostam de defender sua bandeira, sua liberdade, seus desejos? Então saibam que toda a raça de heterossexuais do mundo todo, estão aqui dispostos a fazer o mesmo. Dispostos a defender os valores segundo seus costumes, defendendo suas famílias e acima de tudo sua honra. Temos o direito de achar um insulto um menino com roupa de menina sim. Se já tivesse não iriam achar bom nenhum pouco uma barbárie dessas. As crianças têm o direito de serem livres e decidirem seus gostos sexuais na idade certa par isso. Ou vcs acha que dr de 5 a 12 anos por exemplo, elas já podem praticar sexo? Lógico que não, então se o bebê nasce homem, crie ele como homem. Se ele nasce mulher, crie ele como mulher. Simples assim.

        • Eu™

          19 de fevereiro de 2016 em 8:44

          Chola mais! KKK

  7. charlston

    6 de fevereiro de 2016 em 15:02

    Muito bom seu site Gilmar Lopes. Deveria ser mais divulgado. Parabéns por essa contribuição. Minha opinião sobre o tema: Não existe a Entidade “…Os Direitos Humanos”, o que existe são comissões formadas nos municípios, estados e nacional. No caso em questão é da OAB. Infelizmente essas comissões não observam que o ataque sistemático à instituição Polícia Militar já se mostrou ineficiente quanto ao julgo popular, essas comissões estão se tornando antipáticas até para os mais liberais. Eles deveriam aproveitar o exemplo do Papa Francisco que atua no campo dos bons exemplos e da integração, reunindo as adversidades de opiniões. A defesa da adversidade passa pelo respeito da opinião alheia. Quem pensa diferente de você não terá motivação alguma de mudar de opinião se você persegui-lo sistematicamente. Os representantes dos DH deveriam dar a mão ao policial que sofre agressões e preconceitos, aí poderiam pensar em divulgar o conceito de Direitos Humanos construído desde a “Carta Magna”

  8. Bfhht

    6 de fevereiro de 2016 em 16:05

    Direitos Humanos é meu ovo.

    • Alessandro

      9 de fevereiro de 2016 em 1:12

      Sim, seu ovo esta protegido pela declaração universal dos direitos humanos.
      Pode ficar tranquilo.

  9. Nulle

    6 de fevereiro de 2016 em 20:25

    Não entendi muito bem a crítica dos direitos humanos… “submeter criança ou adolescente sob sua autoridade, guarda ou vigilância a vexame ou a constrangimento.” Não foi exatamente isso que fizeram com o garotinho da capa da revista Nova Escola? Nem sequer sabemos qual é o opção do garoto mas a alegação de ter o “intuito de provocar os leitores” não é justamente uma violação do artigo 232 do Estatuto da Criança e do Adolescente?

    • André

      8 de fevereiro de 2016 em 12:29

      Perfeito! Esgotou o assunto…

  10. Snorlax Deitão

    6 de fevereiro de 2016 em 22:16

    Tem umas fotos na internet de crianças fantasiadas de soldados na África… ah, não são só fantasias, eles são soldados de verdade…

  11. Sandro

    6 de fevereiro de 2016 em 23:48

    O único erro do deputado foi ter colocado a foto errada. No lugar do casal de crianças, ele deveria ter colocado a foto da bebê com as algemas e cacetete, que foi a foto que gerou toda essa discussão. O que ele quis dizer com isso é que os mesmos que se indignam com uma criança vestida de policial, acham belo um menino estar usando roupas de menina. Não discordo que existam crianças trans, mas também prefiro acreditar que em alguns desses casos foram os próprios pais que fizeram a cabeça da criança para ela querer se vestir do sexo oposto. Uma pergunta, quem foram os que não gostaram da bebê vestida com farda? Pessoas com uma visão política de esquerda, que consideram o policial uma pessoa ruim, truculenta, enquanto veem o bandido como uma vítima da sociedade. Somente pela fala do coordenador estadual do Movimento Nacional de Direitos Humanos podemos perceber isso, quando ele mostra preconceito ao considerar aquilo uma situação constrangedora. Se a mesma criança estivesse vestida de bandido, ou do sexo oposto, ele acharia bonito. Foi isso que indignou o nobre deputado Bolsonaro, e na pressa, ele acabou trocando as fotos.

  12. Terra

    7 de fevereiro de 2016 em 8:09

    O E-farsas ja foi muito bom, mas de algum tempo pra ca tenta fazer exatamente o que a tv faz, em certas ocasioes dando opinioes pessoais, sem provar, como fazia antigamente, provando tudo com fatos, ou deixando em aberto algumas coisas, todas imagens sao reais e onde foi que bolsonaro disse que foi na mesma epoca?Voces sao tao boms qie sabem o que ele pensa?Pra mim acabou este site, se nao voltar como era antes, vao se acabar em nada.(demitam o estagiario que esta no comando site urgente).

    • Gilmar Lopes

      7 de fevereiro de 2016 em 9:51

      Ué! Por que ele não usou a foto correta? Explicamos que no caso da capa da revista ele estava certo… poderíamos ter feito isso com as duas fotos se ele tivesse usado a foto da bebê com o cassetete!
      Entenda… somos apartidários aqui no E-farsas e apenas pesquisamos o que nos é sugerido. Nesse caso, o deputado errou por uma bobeira!

      • Vânio Margotti de Medeiros

        7 de fevereiro de 2016 em 13:40

        Fala sério!!!!

      • Marcelo

        7 de fevereiro de 2016 em 16:40

        Deixe-me ver se entendi, e-farsas (nome perfeito!): no último parágrafo da matéria há a conclusão de que a foto dos meninos fardados é fraude, mas que a do menino vestido de mulher ganhou um prêmio de jornalismo, é isso? (sutil, não? Como um elefante.)
        Você usa o fato da foto dos fardados não ser exatamente a críticada, para sugerir que o fato então em questão, o centro da discussão, é uma fraude
        E você afirma que seu site é “apartidário”, o que é uma tentativa linguista de trazer à mente do leitor também uma conotação de “imparcial”, não é?
        Hahaha. Me poupe.
        É preciso agora criar o e-farsas do e-farsas.
        Essa matéria é uma fraude moral e de princípios éticos.

        • Gilmar Lopes

          8 de fevereiro de 2016 em 8:01

          Ué! Por que o deputado não usou a foto real na postagem? Se tivesse feito isso nem apareceria aqui no site (ou apareceria com a conclusão de “verdadeiro”)!
          Entenda que a questão aqui é que o deputado misturou dados reais com mentira em sua publicação e isso caracteriza um boato. Dado o tamanho do alcance que o político tem (além do seu cargo, que precisa mostrar lisura), era de se esperar que ele somente se apoie em fatos, né?
          Quando é preciso defender o Bolsonaro ou quem quer que seja, o E-farsas faz o seu papel, como nessa postagem: http://www.e-farsas.com/bolsonaro-apresentou-projeto-que-separa-sangue-doado-por-homossexuais.html

          Também explicamos que a parte da capa da revista – que ganhou até premio – é real! Acredito que fomos bem imparciais nessa, não acha?

          Apoiamos muito a ideia de se criar um E-farsas para fiscalizar o E-farsas. Acho estranho não existir ainda, mas deve ser pelo fato de que o que publicamos aqui sempre se baseia em fatos (ao contrário de muitos sites por aí)! Se quiser criar um site para fiscalizar o E-farsas, damos o maior apoio e até ajudaremos a divulgar.

          Abração!

          • adriano

            10 de novembro de 2016 em 7:49

            Gilmar gosto muito do site, mas ate nessa postagem q vc indicou aparece o posicionamento do site ou do autor, no momento que vc posta que Bolsonaro e autor de frases que beira o ridículo vc foi imparcial, deveria c ater ao fato em si.

  13. Paulo

    7 de fevereiro de 2016 em 9:29

    Pq quando aparece criança segurando arma do tráfico e drogas os direitos humanos não denúncia?

  14. Felipe Lameu

    7 de fevereiro de 2016 em 9:56

    Boa, Gilmar. Ótima pesquisa.

  15. Lucho

    7 de fevereiro de 2016 em 10:10

    Cadê o dudu, o concidadão do Monteiro Lobato que usa speedy e e-mail do Yahoo para falar merda na propriedade particular alheia?

    Em tempo: Bostanaro (que quer porque quer acabar com o exame da OAB) usando o facebosta. Pode ter coisa pior que isso? (quem vem lá do fundo? Ah sim. É o gado do mimimi. E estão se aproximando bem rápido)

  16. Rondinele

    7 de fevereiro de 2016 em 10:59

    Ele nao usou a foto correta pq foi censurada pelo direito dos humanos maconheiros.

    • Gilmar Lopes

      7 de fevereiro de 2016 em 11:55

      Que é isso, meu? A foto está sendo exibida (com o rosto do bebê tampado) em diversos portais de notícia.

  17. Leonardo Vitor

    7 de fevereiro de 2016 em 20:30

    Verdade o site acertou!!! Mas qual a diferença da foto, O fato e que este lixo de direitos humanos não encomodou com uma capa onde a Pureza de uma criança não é respeitada, onde a exposição ao ridículo para torna a vontade dos adultos em vender uma ideia, vender notícia, polêmica vende mais do que seriedade, falo isto pois sou jornalista.Tanta coisa boa para encinar a uma criança, porque não tornar a leitura da palavra de Deus um hábito para criarmos pessoas melhores no futuro.

    Não sou policial mas pra mim a farda é símbolo de onra, respeito, caráter e honestidade, ainda que tenha problema em todas as corporações eu sinto bem em ver uma criança com um uniforme tão respeitado, melhor assim do que ver fotos de crianças com armas na mão cabelo loiro e já pagando de cabuloso, ou ver crianças dançando funk com uma roupa indecente. Pura inversão de valores o sistema não critica a cantora Mirim como a mc Melodi e seu pais, ou o mc brinquedo entre outros nas casas noturnas e catando putaria, tudo aqui pode, dês de que seja errado, merda de geração que nada faz para mudar o isto, merda de mídia comprada.

  18. ramos pinto

    7 de fevereiro de 2016 em 20:46

    Pior seria se a criança estivesse vestida com a camiseta do psicopata CHE QUEVARA. Ai seria o fim do mundo.

  19. André

    7 de fevereiro de 2016 em 22:12

    Isso aí Gilmar o Efarsas tá show de bola ! Continue desmascarando esses espertos que se aproveitam da sede da galera que adora compartilhar tudo o que vê pela frente !

  20. Sandra

    7 de fevereiro de 2016 em 23:11

    Ao Gilmar Lopes
    Entre meu filho estar segurando um cacetete de brinquedo ou não bebê, logo não tendo como registrar em sua memória, ou vestido de mulher numa capa de revista…coloque o seu filho já q pra ti é normal e q foi louvável o prêmio!!

  21. andre colares

    8 de fevereiro de 2016 em 1:39

    apesar de tudo… todos acham que vestir um garoto de menina é algo legal, fascinante….Meus DEUS, volte logo…

  22. Jocelino Ortiz

    8 de fevereiro de 2016 em 7:04

    Quando usar farda, símbolo de civismo, for considerado crime como quer o promotor o boi já fugiu com corda e tudo.
    Pôr a roupa de menina naquela criança não é errado a meu ver mas expor ela numa capa de revista pode ter sido a pior coisa de sua vida… entreviste-o daqui a 15 anos para ver.

  23. Laercio

    8 de fevereiro de 2016 em 9:01

    Na Boa, vamos divulgar, mais essa postagem do deputado. E tudo verdade!

  24. João

    8 de fevereiro de 2016 em 11:34

    Quer dizer que criança com algema é situação vexatória, mas vestida de princesa não é!
    Vocês são ridículos.
    Vocês usam dois pesos e duas medidas.

  25. Sergio

    8 de fevereiro de 2016 em 15:32

    Eles tentam atacar o Bolsonaro de qualquer forma. Nossa, ele colocou a foto de duas crianças fardadas ao invés de uma, puxa! Que mentiroso!!!! Gostaria de saber quem decide se a criança foi exposta de forma humilhante. Quer dizer que a profissão de Policial Militar é algo humilhante? E gostaria de saber quem iria responder por isso. A PM? Mãe? A agência que fez o book?

  26. Miguel Pedro Cauã Ribeiro

    8 de fevereiro de 2016 em 15:40

    HEIL Bolsonaro HEIL Bolsonaro HEIL Bolsonaro! HEIL Bolsonaro!!! HEIL Bolsonaro VIVA FASCISMO E EXTREMA-DIRETA MORTE AO COMUNISTAS E SOCIALISTAS HEIL Bolsonaro HEIL Bolsonaro!!!!! HEIL HILITER MORTE AOS MILITANTES DO PARTIDOS COMUNISTAS E SOCIALISTAS!!!!

  27. Uberlan

    8 de fevereiro de 2016 em 15:53

    Que orgulho da atuação de alguns integrantes dos DH…

    Segundo eles:
    Crianças circulando em parada gay com pessoas enfiando a cruz no anús, PODE.
    Crianças fardadas, NÃO PODE.

    Crianças dançando sensualmente em parada gay, PODE.
    Crianças fardadas, NÃO PODE.

    Criança que não têm consciência de seus atos sendo exposta com vestes do sexo oposto em capa de revista porque algumas pessoas aprovaram, PODE.
    Crianças fardadas, NÃO PODE.

    Crianças circulando em parada gay onde podem ser vistos vários atos obscenos, PODE.
    Crianças fardadas, NÃO PODE.

    Alguém explica?

  28. Rodrigo RD

    8 de fevereiro de 2016 em 18:47

    Haha. O mais hilário (porém lamentável) é que o pessoal do “e-Farsas” realmente acredita estar sendo ideologicamente isento e imparcial na sua “análise” e apresentação dos fatos.

    • Gilmar Lopes

      9 de fevereiro de 2016 em 7:09

      É difícil se manter imparcial diante tanta baboseira sendo postada por gente influente, né?

    • Lucho

      9 de fevereiro de 2016 em 9:06

      Você é usuário do facebosta. Acertei?

  29. Xavier

    8 de fevereiro de 2016 em 23:09

    Esses que defendem os direitos humanos, representam o MAL. Os demais representam o BEM!

    • joctas

      10 de fevereiro de 2016 em 10:41

      ???

  30. Charles

    9 de fevereiro de 2016 em 10:58

    A foto fora de contexto do Bolsonaro circulou e pode ser classificada como farsa, claro justamente por estar fora de contexto. Mas a foto verdadeira (que também tem uma criança fardada) também circulou no Faceboook (e comparada à da revista) e não é farsa.
    A publicação citada não “misturou fatos reais com inverdades” como vocês citaram. A publicação citada misturou fatos reais, mas fora de contexto (para comparação). O que é diferente.
    E mais, ignoraram o foto de que a foto verdadeira, que também tem uma criança fardada, também está circulando no Facebook.
    Cometeram a falácia da omissão.
    Notei que outras fotos de crianças fardadas estão sendo divulgadas em apoio à PMSP e em crítica à OAB.
    Vocês acertam ao esclarescer o contexto diferente das duas imagens mas erram ao depreciar (também fugindo do contexto) como farsa o que circulou nas redes sociais: que houve indignação seletiva da OAB sobre uma foto de criança fardada, mas não houve indignação da OAB sobre a foto de criança travestida.
    O centro da polêmica não o deputado ter postado trocando fotos. É a reação da OAB (ou na opinião de um advogado com sua interpretação do fato).
    E vocês colocaram aspas ao citar “de menina”, mas é verdade, na foto da revista, vestiram um menino como menina sim.

  31. Charles

    9 de fevereiro de 2016 em 11:00

    Além disto vocês comentem, duas vezes, a falácia da autoridade.
    1) O advogado Ariel de Castro Alves (do MNDH da OAB) diz que a foto fere ao ECA ao colocar uma criança em situação vexatória.
    O texto do ECA citado é real. Mas dizer que a foto fere o que diz o ECA, dizer que a situação é vexatória, não é nada mais que a opinião do advogado, da interpretação dele em relação à lei.
    É por isso que qualquer processo judicial tem duas partes, com base na mesma lei, dois advogados (ou um advogado e um promotor) interpretam se a lei foi ou não infringida.
    O fato de um advogado ter interpretado a foto como vexatória, não quer dizer que ela é vexatória. E ele representar a OAB, ser ativista de Direitos Humanos, não é um crivo de que sua interpretação é verdadeira.
    2) Quanto a foto do menino travestido de menina. O fato da foto ter sido elogiada por muitos (inclusive por vocês) e ter recebido um prêmio por “voto popular” não quer dizer que ela não seja vexatória.
    Coloquei popular entre aspas pois desconheço até que ponto realmente o “povo brasileiro” (estatisticamente) foi representado na votação da ANER (aliás, o público leitor/assianante da mídia revista é pequeno, não é um extrato proporcional da população brasileira).
    Assim como o tal advogado disse que a foto da criança fardada é vexatória, eu posso dizer que não, e que a foto do menino travestido é vexatória e fere ao ECA. E ainda assim será, igualmente, mera opinião e interpretação do ECA, não uma verdade absoluta, muito menos uma sentença legal acerca da foto.
    Vou até entrar numa situação hipotética: se fizerem uma pesquisa estatística com pais de crianças (num extrato real da população), perguntando:
    “Você acha que é vexatória a foto da criança fardada, a foto do menino travestido, ou ambas”?
    suponho que o resultado seja diferente da opinião do tal advogado e da opinião que vocês do site.
    E sinceramente, se colocando no lugar de um menino, o que iria constrangê-lo, posar para uma foto vestido de princesa ou de policial?
    É claro, eu dei um exemplo hipotético. Mas, vejo que muita gente apoiou a PM e criticou a OAB (assim como o oposto), neste caso.
    E já que estamos assumidamente tratando de opinião, cito a minha: a OAB, em relação aos direitos humanos, é notoriamente cheia de “indignação seletiva”. Nunca vi o citado movimento da OAB se indignando sobre as situação das vítimas da crimilidade (como as famílias desamparadas de policiais mortos, por exemplo), sobre a precária condição de trabalho dos policiais, sobre a exposição precoce das crianças a conteúdo sexual etc.

  32. Charles

    9 de fevereiro de 2016 em 11:01

    Ah, Gilmar Lopes, vocês começaram o texto dizendo que não têm lado político, o que não discordo. O site e-farsas é uma grande ferramenta pra avaliarmos, antes de acreditar, o que é tão divulgado (principalmente no Facebook).
    Mas, por erro ingênuo ou intencionalmente, vocês, neste caso, não foram neutros. Vocês emitiram sim opinião contra a foto da PM e a favor da foto da revista. Nada contra, ter opinião não é crime, mas não dá pra chamar isto de neutralidade.
    Neutralidade seria apenas expor o erro da postagem do deputado, sem deixar de expor que outras postagens ganharam repercussão com fotos reais, sobre o mesmo assunto, sem enaltecer nem depreciar nenhuma delas.

    • Will

      10 de fevereiro de 2016 em 9:57

      Parabéns pela aula que vc deu… Estou somente a espera de uma resposta contundente do site após essa gloriosa explicação, e claro, o e-farsas não irá responder sabe o pq? Pq não irá encontrar uma resposta a altura…

    • Gilmar Lopes

      10 de fevereiro de 2016 em 13:42

      Não acho que enalteci e tampouco depreciei nenhum dos lados! Só acho que o deputado poderia ter usado a foto correta para instigar a revolta na população! (perceba que estou dando a minha opinião apenas aqui nos comentários e não no artigo).

  33. Adam

    9 de fevereiro de 2016 em 11:24

    Errou feio o blog. Bolsomito é maluco, mas oque ele postou foi somente uma foto genérica para o assunto a ser exposto. Nem algema e nem cassetetes são armas e muito menos de brinquedos…

  34. Cesar da Silva

    9 de fevereiro de 2016 em 21:13

    Parece que um pessoal que não leu a parte onde é informado que o garoto é britânico e também não se deram ao trabalho de tentar saber qualquer coisa sobre o menino.

  35. Carlos

    16 de fevereiro de 2016 em 15:45

    “nem cassetetes são armas”. Sim. São armas sim. E a militância direitista age da mesma forma imparcial e absolutista como os vermelhinhos…Radicais são aqueles que só conseguem ver acertos no lado que defende e somente erro no lado que combate. Isso vale para ambos os lados.

  36. SavianoMarcio

    16 de fevereiro de 2016 em 23:47

    Gilmar… não acredito que o pessoal tentar desfilar filosofia só por causa de criança fantasiadas, é de perder a fé na humanidade, será que essa imagem também é tão terrível assim?: https://flitparalisante.files.wordpress.com/2014/12/campanhapc2.jpg

    E terminando as crianças estão lindas, muito fofas! 😀

  37. Leonardo

    19 de fevereiro de 2016 em 8:58

    Meu amigo admiro seu site e bato palmas. Infelismente as pessoas ainda não entendem o que é uma materia investigativa. Continue nessa caminhada meu amigo nos que apreciamos seremos sempre gratos a vc.

  38. Cintia

    11 de março de 2016 em 7:24

    Há dois claros posicionamentos predominantes:
    Os que gostam do Bolsonaro então vêem a crítica do e-farsas ao fato do deputado não ter usado a foto causadora da polêmica para ilustrar o seu post como posicinamento político, e defesa do homossexualismo.
    E a posicionamento dos apoiadores dos direitos LGBT que criticam as opiniões do Bolsonaro.
    Isso faz com que a maioria das pessoas construam seus comentários acusando ou defendendo e em tal esquecem dados como por exemplo: o Gilmar não apoiou a foto do menino britânico.
    Há no entanto, nos comentários do Gilmar no artigo, um toque de crítica e descrédito dos propósitos do Bolsonaro por levantar a hipótese dele ter sido mal intencionado ao escolher uma foto que não foi questionada.
    Mas creio que isso não significa que o autor do artigo defende o homossexualismo como muitos dos comentaristas afirmaram, baseados não sei no que…

  39. Aniinha

    14 de junho de 2016 em 11:47

    Hoje em dia as pessoas levam tudo muito ao pé da letra, é o que ta se mostrando, os feministas os machistas. . todos cheios de blá blá blá… antes não era assim, se houvesse uma festa a fantasia e uma menininha fosse de policial e outra fosse com roupinha de ladrão. seriam simplesmente fofinhas… fazer o que né.

  40. michele silva bastos fernandes

    16 de outubro de 2018 em 10:43

    nessa materia diz que o kit gay foi suspenso…já na materia do Kit gay diz que nunca foi distribuido….acho que tem algo errado não?!!

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Parceiros

Voltando a Circular

Publicidade

Apoio técnico!

Topo