Conecte com a gente

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

E-farsas – Desvendando fake news desde 2002!

Vídeo com o jingle da campanha de Geraldo Alckmin exibe bandeira do PCC?

Crimes

Vídeo com o jingle da campanha de Geraldo Alckmin exibe bandeira do PCC?

Vídeo com o jingle da campanha de Geraldo Alckmin exibe bandeira do PCC?

É verdade que o clipe da campanha do candidato à Presidência Geraldo Alckmin exibe bandeira do Brasil com menção à facção criminosa Primeiro Comando da Capital?   

A notícia se espalhou através das redes sociais desde o final de agosto de 2018 e mostra imagens que teriam feito parte do clipe de divulgação do jingle de campanha do candidato à Presidência Geraldo Alckmin. O que chamou atenção nas cenas é que elas mostram a bandeira do Brasil com a inscrição “1533” no lugar da frase “Ordem e Progresso”, no centro da bandeira.

O número 1533 seria uma alusão à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), onde o número 15 representa a letra “P” e os dois três seguidos representariam o “CC”.

Será que essa história é verdadeira ou falsa?

Trecho do clipe de candidato à Presidência mostrando “bandeira do PCC”! Será verdade? (foto: reprodução/YouTube)

Verdade ou mentira?

No dia 28 de agosto de 2018, o comitê da campanha de Geraldo Alckmin para as eleições de 2018 publicou um vídeo com o jingle oficial do candidato, mas duas cenas chamaram imediatamente: o número “1533” aparece no lugar da frase “Ordem e Progresso” no centro da bandeira brasileira.

A primeira aparição ocorre logo nos primeiros segundos do clipe e a segunda é percebida logo após o primeiro minuto de vídeo, atrás da modelo! A garota caminha em um corredor numa comunidade e, em uma das paredes, a câmera focaliza a alegada menção do PCC.

Pouco tempo depois da repercussão negativa nas redes sociais, a equipe do candidato alterou o vídeo, mudando o enquadramento da moça de modo a ocultar as aparições da bandeira na tela.

A mesma cena com o novo enquadramento:

Entre em contato com o E-farsas via WhatsApp: (11) 96075-5663

O vídeo original pode ainda ser conferido em vários canais do YouTube, como o do Poder 360:

A reportagem do Estadão, a do IstoÉ, do UOL e de várias outras agências de notícias afirmaram terem entrado em contato com o partido do candidato, mas que não obtiveram resposta sobre o ocorrido.

Apenas o site da revista Veja afirma ter conseguido uma resposta do partido, que disse – em nota – ter sido vítima de “mentirosos de plantão“:

“Para atacar o videoclipe do jingle da campanha de Geraldo Alckmin, que já tem milhares de visualizações nas redes sociais, os mentirosos de plantão estão espalhando que a peça faria referência a facções criminosas como o PCC. Isso é fake! Para fazer o boato se espalhar, os detratores usaram uma versão não oficial do clipe, que vazou na internet, e a editaram para inserir imagens em alusão ao crime organizado”, diz a nota enviada à Veja.    

Não encontramos nenhuma nota a respeito no site do partido do candidato e/ou na página do PSDB no Facebook.

Atualização 03/09/2018 – 14:06

Fomos alertados pelos nossos atentos leitores que a nota se encontra no site oficial do candidato! Na nota, o site explica que a peça não faz referência ao PCC, mas não diz nada sobre o vídeo ter sido editado!

Conclusão

O vídeo atual com o jingle da campanha de Geraldo Alckmin à Presidência não mostra mais a bandeira do Brasil com o número “1533”. A produção foi alterada para ocultar essas imagens!

Continue lendo
7 Comentários

Comente

7 Comments

  1. Rodrigo

    3 de setembro de 2018 em 12:34

    O vídeo original tinha a referência ao PCC. O novo vídeo foi editado para retirar o frame em que a menção ao “1533” aparece.

    • Gilmar Lopes

      3 de setembro de 2018 em 14:09

      Não tenho certeza, mas parece que foi isso mesmo que eu disse no artigo! Obrigado por resumir tudo! 🙂

    • Joao lucas

      13 de setembro de 2018 em 19:00

      No clipe original talvez ate apareça o 1533 mas isso nao significa que fizeram menção ao pcc, pode simplesmente ter passado despercebido e consertado após as críticas.

  2. Alípio Martins

    3 de setembro de 2018 em 20:58

    No cinema o nome disso é “easter eggs”.

  3. Esdra Baptista

    4 de setembro de 2018 em 23:47

    Só pesquisar a postura do Alkmin quando questionado em uma entrevista, sobre ligação do pcc com o governo de SP, sem mais… Ótima reportagem.

  4. Daniel

    5 de setembro de 2018 em 12:48

    Resumindo é verdade, ok?
    Tem que falar abertamente se é ou não é!

  5. Aerokiker

    8 de setembro de 2018 em 0:44

    Ou seja, é verdade, apareceu no vídeo original e depois foi editado pela produção para ocultar o “1533”. Porque não deixa isso explícito? Não querem prejudicar o Alckmin?

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Ajude a Manter o E-farsas!

Categorias

Voltando a Circular

Publicidade

Topo