20.8 C
São Paulo
sábado, dezembro 3, 2022

Vídeo com o jingle da campanha de Geraldo Alckmin exibe bandeira do PCC?

- Publicidade -

É verdade que o clipe da campanha do candidato à Presidência Geraldo Alckmin exibe bandeira do Brasil com menção à facção criminosa Primeiro Comando da Capital?   

A notícia se espalhou através das redes sociais desde o final de agosto de 2018 e mostra imagens que teriam feito parte do clipe de divulgação do jingle de campanha do candidato à Presidência Geraldo Alckmin. O que chamou atenção nas cenas é que elas mostram a bandeira do Brasil com a inscrição “1533” no lugar da frase “Ordem e Progresso”, no centro da bandeira.

O número 1533 seria uma alusão à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), onde o número 15 representa a letra “P” e os dois três seguidos representariam o “CC”.

Será que essa história é verdadeira ou falsa?

Trecho do clipe de candidato à Presidência mostrando “bandeira do PCC”! Será verdade? (foto: reprodução/YouTube)

Verdade ou mentira?

No dia 28 de agosto de 2018, o comitê da campanha de Geraldo Alckmin para as eleições de 2018 publicou um vídeo com o jingle oficial do candidato, mas duas cenas chamaram imediatamente: o número “1533” aparece no lugar da frase “Ordem e Progresso” no centro da bandeira brasileira.

A primeira aparição ocorre logo nos primeiros segundos do clipe e a segunda é percebida logo após o primeiro minuto de vídeo, atrás da modelo! A garota caminha em um corredor numa comunidade e, em uma das paredes, a câmera focaliza a alegada menção do PCC.

Pouco tempo depois da repercussão negativa nas redes sociais, a equipe do candidato alterou o vídeo, mudando o enquadramento da moça de modo a ocultar as aparições da bandeira na tela.

A mesma cena com o novo enquadramento:

- Publicidade -

O vídeo original pode ainda ser conferido em vários canais do YouTube, como o do Poder 360:

A reportagem do Estadão, a do IstoÉ, do UOL e de várias outras agências de notícias afirmaram terem entrado em contato com o partido do candidato, mas que não obtiveram resposta sobre o ocorrido.

Apenas o site da revista Veja afirma ter conseguido uma resposta do partido, que disse – em nota – ter sido vítima de “mentirosos de plantão“:

“Para atacar o videoclipe do jingle da campanha de Geraldo Alckmin, que já tem milhares de visualizações nas redes sociais, os mentirosos de plantão estão espalhando que a peça faria referência a facções criminosas como o PCC. Isso é fake! Para fazer o boato se espalhar, os detratores usaram uma versão não oficial do clipe, que vazou na internet, e a editaram para inserir imagens em alusão ao crime organizado”, diz a nota enviada à Veja.    

Não encontramos nenhuma nota a respeito no site do partido do candidato e/ou na página do PSDB no Facebook.

Atualização 03/09/2018 – 14:06

Fomos alertados pelos nossos atentos leitores que a nota se encontra no site oficial do candidato! Na nota, o site explica que a peça não faz referência ao PCC, mas não diz nada sobre o vídeo ter sido editado!

Conclusão

O vídeo atual com o jingle da campanha de Geraldo Alckmin à Presidência não mostra mais a bandeira do Brasil com o número “1533”. A produção foi alterada para ocultar essas imagens!

- Publicidade -
Gilmar Lopes
Gilmar Henrique Lopes é Analista de Sistemas. Trabalha com PHP e banco de dados Oracle e é especializado em criação de ferramentas para Intranet. Em 2002, criou o E-farsas.com (o mais antigo site de fact checking do país!) que tenta desvendar os boatos que circulam pela Web. Gilmar também tem um espaço semanal dentro do programa “Olá, Curiosos!” no YouTube e co-apresenta o Fake em Nóis ao lado do biólogo Pirulla!

Últimas Atualizações

- Publicidade -

Ajude a Manter o E-farsas

- Publicidade -

Checagens Relacionadas

7 COMENTÁRIOS

  1. Ou seja, é verdade, apareceu no vídeo original e depois foi editado pela produção para ocultar o “1533”. Porque não deixa isso explícito? Não querem prejudicar o Alckmin?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui